Programa CSA - Normas e Regulamentos

A construção conjunta de uma comunidade responsável e informada em torno dos alimentos é para nós uma experiência muito rica e motivadora. Gostávamos de começar por partilhar a satisfação que sentimos, como produtores, em fazer parte deste projecto convosco.

Para além da produção e utilização de uma quantidade e variedade significativa de alimentos por forma segura e eficiente, iniciámos um projecto em conjunto, começando a conhecermo-nos, e a entender melhor a realidade uns dos outros.

Neste contexto, o Programa CSA Partilhar as Colheitas rege-se pelas seguintes normas e regulamentos:

a) Um programa CSA (Community Supported Agriculture – Comunidade que Sustenta a Agricultura) refere-se a uma comunidade de produtores e consumidores que partilham os benefícios e os riscos da produção.

b) As quotas de produção correspondem a compromissos de produção por parte do Montado do Freixo do Meio e de consumo por parte dos coprodutores aderentes.

c) Subscrever uma quota regular representa deter uma fração de toda a produção, razão por que gostamos de chamar coprodutores às pessoas que se envolvem na construção deste projeto, refletindo a responsabilização conjunta em torno da produção de alimentos sãos e justos.

d) As quotas de produção são limitadas à capacidade de produção da herdade e dos seus parceiros

e) Para aderir ao programa “Partilhar as Colheitas” basta preencher e assinar o Acordo relativo ao período em que nos encontramos (Outono/Inverno 2019/20), indicando o número de quotas pretendidas e a periodicidade de entrega.

Download: PDF - Acordo Programa CSA Outono/Inverno 2019/20

a) Cada período tem a duração de 6 meses. Dentro deste período esperamos da parte dos coprodutores o cumprimento do compromisso estabelecido através do preenchimento do acordo. Só esta estabilidade de quotas nos permite de semear, plantar, criar e produzir alimentos na medida justa.

b) É possível aderir ao programa em qualquer altura do ano.

a) Os alimentos entregues aos coprodutores aderentes, correspondentes a cada quota de produção subscrita, terão um valor aproximado ao valor da respetiva quota, em função dos resultados da produção. O cabaz de vegetais, por exemplo, contém vegetais no valor de pelo menos 15,00€. Nas carnes, o valor da quota reflete o valor médio das diferentes peças de carne.

b) Graças à possibilidade de planear a produção e minimizar desperdícios, conseguimos otimizar a nossa produção e assim oferecer as quotas ao melhor e mais justo preço. Assim, os produtos que constam nas quotas situam-se sempre, pelo menos, a 10% abaixo o PVP aplicado na nossa loja no Mercado da Ribeira.

c) Além do mais, as quotas são valorizadas a preços fixos para cada período, não sofrendo subidas mesmo que o PVP do alimento suba na loja. No entanto, nas situações em que o PVP desça abaixo do previsto, garantimos que o valor dos produtos acompanhará essa descida de forma a cumprir o preço reduzido de 10%.

d) Os coprodutores aderentes ao programa Partilhar as Colheitas devem comprometer-se a adquirir um número mínimo de quotas de produção no valor igual ou superior a 50,00€ mensais. Este valor reflete um verdadeiro contributo à produção, justificando o estatuto de coprodutor dos membros CSA e o compromisso assumido pelo Montado do Freixo do Meio.

a) Cada coprodutor aderente pode escolher as suas quotas livremente, tendo pelo menos uma quota de vegetais ou de carne subscrita. O Montado do Freixo do Meio produz uma grande quantidade de alimentos diferentes, cumprindo a missão de abraçar o ecossistema rico do montado alentejano e a riqueza de produtos que ele nos oferece. Assim produzimos vegetais, produtos de bolota, pão, ovos e vários tipos de carne entre outros produtos.

b) Pedimos aos nossos coprodutores a compreensão desta missão e a valorização do Montado, aceitando a grande variedade deste ecossistema à sua mesa.

Por esta razão, queremos motivar os nossos coprodutores a desfrutar de várias quotas, fazendo assim das nossas quotas a base diária de alimentos em sua casa.

a) O espírito deste programa pressupõe que os “pagamentos” dos produtos sejam substituídos por um conceito diferente, de “apoio financeiro” às pessoas que produzem os seus alimentos. Este corresponde ao valor das quotas de produção subscritas. Enquanto o programa CSA prevê tradicionalmente o pagamento adiantado das quotas para permitir ao agricultor investir e produzir os alimentos, o Montado do Freixo do Meio optou por um compromisso diferente:

b) Emitimos uma fatura no fim de cada mês respeitante às quotas totais entregues durante o mesmo, que deve ser liquidada por transferência para o IBAN PT50 0033 0000 4552 0887 7920 5 até ao dia 15 de cada mês com indicação do número de fatura e número CSA.

a) Durante um período CSA, está previsto os coprodutores, por questões de férias, indisponibilidade ou outras razões, poderem proceder à suspensão da entrega das mesmas, até 4 semanas (que no caso da modalidade quinzenal, corresponde a duas entregas).

b) Excecionalmente, também é possível transferir a entrega das suas quotas para outro dia da semana ou outro local de entrega que lhe seja mais conveniente.

c) Estas e outras alterações relacionadas com a entrega de quotas devem ser efetuadas diretamente pelos coprodutores na sua área de cliente, no site do Montado do Freixo do Meio, com pelo menos uma semana de antecedência.

a) Exceto nos pontos de entrega externos ao Freixo do Meio, as quotas de vegetais e carne ficam guardadas em câmara frigorífica à temperatura adequada até serem levantadas, sendo que ao fim da tarde de sábado a quota de frango é congelada.

b) Se o levantamento das quotas não for efetuado até três dias após o momento acordado, tentaremos comunicar com o coprodutor, e se não o conseguirmos fazer, propomos a utilização dos alimentos de forma a não contribuir para o flagelo do desperdício alimentar, sendo as quotas igualmente faturadas.

a) Quota de Vegetais: Os produtos que compõem cada quota de vegetais são determinados pela produção do Montado do Freixo do Meio em conjunto com os coprodutores, tendo em consideração as sugestões propostas e de aceitação coletiva nas reuniões presenciais dos Dias Abertos de coprodutores. Em cada semana, a quota de vegetais é definida consoante a disponibilidade de hortícolas sazonais e iguais para todos os coprodutores, tornando assim possível um preço mais acessível.

Os coprodutores aderentes recebem antes da entrega do cabaz um e-mail comunicando os produtos que compõem a entrega de vegetais da semana de forma a poderem organizar as suas compras alimentares. Trata-se de uma estimativa que pode sofrer alterações consoante a disponibilidade dos vegetais (entre os imprevistos pode haver secas, geadas etc.).

b) Quota de Carnes: A quota de carne de porco preto, de carne de vitelão e de carne de borrego é constituída por um número e tipo determinado de peças de carne. Ao longo das entregas, as peças vão alternando consoante o padrão predefinido.

Quando receber um produto que não seja do seu agrado, sugerimos que o partilhe com algum familiar/vizinho/colega/amigo, alargando assim o alcance deste nosso “Partilhar as Colheitas”.

a) É uma quota complementar às já existentes quotas regulares, criada por uma oportunidade de abundância nas colheitas, por exemplo de tomate ou laranja. Subscrição por encomenda na loja online Freixo do Meio na categoria "Quota Esporádica", após anúncio da disponibilidade aos coprodutores durante um determinado momento do período de compromisso. Esteja atento!

a) É uma quota exclusivamente disponível aos coprodutores a um preço especial (por exemplo Azeite).

a) Cada coprodutor pode complementar as suas quotas com outros produtos que necessite, através de encomendas na nossa loja online.

b) Os membros CSA têm prioridade na satisfação de encomendas de produtos da Herdade e não têm um valor mínimo de encomenda, embora seja importante que tenham em conta que há sempre um custo associado ao processamento da mesma.

c) As encomendas efetuadas na loja online são faturadas no momento da entrega da encomenda e são, contrariamente às quotas CSA, pagas no momento da entrega.

a) Cada coprodutor pode também encomendar produtos com uma periodicidade fixa (semanal, quinzenal, mensal). Ao pedir a efetivação de uma encomenda permanente tem a vantagem de não ter de efetuar a encomenda online.

a) A distribuição da nossa quota de vegetais é efetuada em caixas de madeira de choupo, de produção nacional e uso reciclável. As caixas representam um investimento considerável por parte do Freixo do Meio e é por isso que pedimos um cuidado especial no seu manuseamento. Aconselhamos que leve consigo um saco para levar a sua quota semanal, deixando a caixa de madeira no ponto de entrega. Se pretender levar a caixa para casa, existe uma caução de 15€ que deve ser paga diretamente a um colaborador do Freixo (idealmente em numerário), valor que será devolvido aquando do retorno da caixa.

b) Agradecemos a devolução das nossas caixas de ovos e elásticos, desde que estejam em bom estado para reutilização. Após uma higienização adequada à natureza dos diferentes materiais, estes serão novamente incorporados nos nossos processos de embalamento. Quando não apresentarem condições apropriadas serão separados e encaminhados para reciclagem. Pedimos a vossa especial compreensão para não devolverem frascos, tampas e películas de plástico, pois neste momento não temos capacidade para fazer a higienização adequada destes materiais.

a) Excetuando-se a quota de fruta que é do produtor José Carlos Ferreira (FRUBIO – Mafra) e dos produtores Gertrudes e Francisco (BIODAMASCO – Serpa), a quota de leite e queijo que são dos produtores Jan e Elisabeth Anema (Quinta Anema – Lavre), os alimentos que compõem cada quota de produção são exclusivamente de produção própria.

b) Assim, assumimos a responsabilidade por qualquer insatisfação relativamente aos produtos entregues, enviando na entrega seguinte, o mesmo produto ou outros equivalentes quando o mesmo já não esteja disponível. Para tal, basta entrar em contacto connosco.

a) Qualquer dúvida relacionada com o programa CSA deve ser tratada através do e-mail csafreixodomeio@gmail.com, ou em casos urgentes e/ou importantes, por telefone: 936 909 373.

Última actualização: 3 de Outubro de 2019